quarta-feira, 25 de novembro de 2009

África Negra...

Ao pôr-do-sol a terra é mais vermelha,
E mais garrida a acácia nos parece.
No mar há rubros de ouro. E anoitece
Como no céu ressalta uma centelha.

O Sol vai serra adentro. E acontece
Que o chão de mil tons de ocre se avermelha.
Foi Deus que a um justo viu fervor na prece:
Africa Negra ao Éden assemelha!

À solta,andam na praia os namorados
Na babugem das ondas, descuidados...
E os búzios calam desmandos de amor.

Há luz junto do mar que inda alumia.
Chega à savana o cheiro a maresia,
Porque há feitiço ao sul do Equador!



In POESIA QUE A MÁGOA TECE, 2007.
Maria Francília Pinheiro

4 comentários:

Paula Raposo disse...

Parabéns, Francília!!
Estou contente.
Beijinhos

Maria Clarinda disse...

Porque...ao Sul do Equador estão as minhas raízes, o meu eu...
Lindo este teu poema , como todos os outros, fico feliz por os partilhares connosco.
Jinhos

valvesta disse...

Olá valquirias,posso entrar? a sua africa é linda,mistica e quente.nosso brasil tb é parecido.
Verdadeiramente Deus nos abençoou com um lugar maravilhoso. um abraço fraterno.

Eduardo Aleixo disse...

Bonito o seu poema.
Desejo-lhe um Ano Novo, cheio de felicidade.