segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A magia acontece...


Por que razão, Amor, já te apartaste,
E com afagos meus ficas zangado...
Não vês a angústia no rosto cansado,
O espectro da seara que ceifaste!?

Não mais quero saber por onde andaste,
Mas dar verdade ao sonho, então sonhado...
O que hoje em mim acusas de pecado
Não te enfadou enquanto só me amaste!

Procuras a miragem que não presta.
Agarra o pouco do muito que resta,
E vai acontecer do Céu magia...

Mas foges mais a cada hora, eu sinto.
No ar pairam amargos de absinto
Que me dão medo por telepatia...


IN Poesia que a Mágoa Tece - 2007.

Foto: Paula Raposo.

5 comentários:

Paula Raposo disse...

É bonita a magia que vai acontecendo.
Beijinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

mais um belo soneto cheio de magia.

grata pela partilha.

um beij

Maria Clarinda disse...

(...)Procuras a miragem que não presta.
Agarra o pouco do muito que resta,
E vai acontecer do Céu magia...

Mas foges mais a cada hora, eu sinto.
No ar pairam amargos de absinto
Que me dão medo por telepatia...


Lindo!
Jinhos mil

Liliana Josué disse...

Olá Francília

Lindo poema cheio de ternura e amargura.
Na arte do soneto considero-a uma mestra.

Um grande beijo
Liliana Josué

saopercheiro disse...

Estou gostando de ler, parabéns e um beijo da
São Percheiro